Tudo o que você sempre quis saber sobre acupuntura – Procedimentos de uma consulta de acupuntura

Este é o ultimo texto da série – Tudo o que você sempre quis saber sobre acupuntura, neste post explicaremos de maneira simples e resumida o que acontece normalmente em uma consulta de acupuntura, deste modo você saberá o que virá pela frente e perceberá que não há motivos para ficar apreensivo.

Lembrando para quem não leu os outros três posts anteriores dessa série, é só clicar para ler o Primeiro, o Segundo, o Terceiro ou o quarto texto.

Marcação da consulta e duração

A consulta deve ser agendada com antecedência, como toda consulta de saúde. Uma sessão pode demorar de 40 minutos até uma hora, aproximadamente, podendo prolongar-se caso o acupuntor julgue necessário.

Diagnóstico energético

Primeiramente o acupuntor realiza a anamnese, ou seja, uma entrevista utilizando os métodos tradicionais de diagnóstico energético: Inspeção, Audição, Olfação, interpelação e Palpação. É comum que o cliente apresente também sua queixa principal, para que o profissional saiba qual é a prioridade no tratamento, já que na maioria dos casos os clientes apresentam diversos desequilíbrios com sintomas que precisam ser tratados gradativamente de acordo com a urgência.

Inspeção: Exame visual, aparência, cor do rosto, brilho dos olhos, estado dos cabelos, da pele, unhas, e em especial a língua, que pode apresentar manchas, saburra, marcas e também alterações na forma. A aparência visual revela muito sobre o estado de saúde da pessoa.

Audição e Olfação: Auxiliares do diagnóstico. Os acupuntores escutam os sons do corpo do paciente, respiração, tosse, timbre de voz, e o próprio odor exalado pelo corpo.

Interpelação: É a conversa com o paciente, em que o acupuntor realiza diversas perguntas sobre sua saúde e sobre aspectos de sua vida, com o objetivo de identificar a causa das disfunções apresentadas.

Palpação: É o ato de tocar no paciente para poder sentir sua situação energética. Na apalpação do pulso (pulsologia), o acupuntor pode determinar o estado energético dos órgãos e vísceras.

Depois de coletar todas essas informações o acupuntor traça um tratamento baseado também no ciclo de geração (Mãe/Filho) e de dominância dos 5 elementos da natureza chineses: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água.

O ciclo de Geração forma uma sequência em que cada Elemento dá origem ou gera o seguinte, assim como é gerado da mesma forma. Deste modo teremos: madeira gera fogo, fogo gera terra, terra gera metal, metal gera água e água gera madeira.

No ciclo de Dominância cada elemento controla o outro, ao passo em que é controlado também, formando uma relação de controle e restrição mútua entre as fases. Aqui teremos: madeira controla terra, terra controla água, água controla fogo, fogo controla metal e o metal controla madeira.

As relações de geração e dominância asseguram o equilíbrio entre os elementos e a normalidade de seus processos, no caso do corpo humano, de seu funcionamento fisiológico saudável. Esta “lei” que permeia os Cinco Elementos demonstra interdependência entre eles, o desequilíbrio em uma das fases ou na relação entre um e outro irá repercutir no sistema inteiro.

Aplicação

Após o diagnóstico energético, o acupuntor escolhe os pontos que serão utilizados, o paciente senta-se em uma cadeira ou deita-se em uma maca e recebe a aplicação.

O acupuntor realiza a assepsia da região que receberá a puntura para inibir a microbiota (bactérias), assim estes seres microscópicos ficam impedidos de adentrar a barreira física (pele) juntamente com a agulha.

Geralmente a colocação da agulha não dói. Ocorre uma sensação diferente que dizemos que é quando a agulha entra em contato com o Chi do canal estimulado ou sedado (ver post 1 – O que é acupuntura). A fobia (medo) pode ser confundida com dor, e obviamente se o cliente está muito tenso e preocupado com a aplicação, sua musculatura estará também tensa, dificultando a entrada da agulha. A dica é: quanto mais relaxado, tranquilo e confiante no profissional que está lhe atendendo, menor é a possibilidade de sentir desconfortos.

Ainda sim, se você for uma pessoa extremamente sensível e sentir alguma dor, ela será pequena e totalmente suportável além de que cessa rapidamente – isto mesmo – depois que as agulhas são colocadas você nem sequer sentirá elas, há ainda quem diga que não as sente nem quando entram.

Depois de inseridas, o acupuntor deverá estimular os pontos (para cima e para baixo ou em rotações) de forma bem sutil. O tempo de permanência das agulhas varia de profissional para profissional, mas diversos autores sugerem no mínimo 30 minutos para então serem retiradas. No momento da retirada pode haver algum sangramento (mínimo), normalmente ocorre em síndromes de excesso de energia, essa saída de sangue remove a estagnação do Chi. Pode-se também realizar a sangria propositalmente para a mesma finalidade.

Vale ressaltar o que já foi dito no post anterior: As agulhas são descartáveis, o que torna a acupuntura extremamente segura. Na China ainda se reutilizam as agulhas, no Brasil a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) não permite a reutilização.

Existe uma câmera que capta o chamado “Efeito Kirlian” (que aprofundaremos em um próximo post) que é capaz de captar a energia elétrica (vibração) de qualquer objeto ou pessoa, foi realizado um teste sobre o campo energético de uma agulha antes de ser utilizada e depois, a diferença é simplesmente incrível, a agulha estéril, nunca utilizada, apresenta-se equilibrada energeticamente, e a agulha já utilizada apresenta diversas rupturas no campo energético inclusive com alteração do padrão de cor. Este experimento demonstra que quando utilizamos a agulha no tratamento, além de contaminá-la com nossa microbiota e sangue, o campo energético que ela possui e que deveria estimular o restabelecimento de nossa saúde torna-se incapaz de fazê-lo pois está em desequilíbrio.

Depois da aplicação

O paciente normalmente sente-se sonolento, relaxado após a sessão. Sugerimos que não levante repentinamente, e descanse por alguns minutos após a retirada das agulhas. Alguns pontos utilizados poderão ficar levemente vermelhos ou irritados, é normal, mas passará em poucas horas.

Retorno

As sessões em geral são semanais e o tratamento pode durar algumas semanas ou meses, dependendo da doença, cronicidade e resposta ao tratamento, o que varia muito de pessoa para pessoa.

GUIA DO PACIENTE – O QUE FAZER E NÃO FAZER

Antes de finalizarmos esse assunto riquíssimo da série – Tudo o que você sempre quis saber sobre acupuntura, o qual poderíamos ficar anos falando à respeito (sem exagero), a seguir alguns conselhos básicos para que você possa aproveitar da melhor forma possível os benefícios da acupuntura:

Antes da Consulta

  • Procure não comer demasiadamente até duas horas antes, nem fique em jejum prolongado;
  • Não raspe e nem escove a língua no dia da consulta, a observação do aspecto da língua é um método diagnóstico muito importante;
  • Tente chegar no horário ou um pouco antes, para evitar a ansiedade e o estresse;
  • Compareça com roupas folgadas e leves para facilitar o atendimento;
  • Confie no acupuntor que irá lhe atender; e seja muito sincero ao falar dos seus hábitos para que o diagnóstico seja feito da forma mais assertiva.

Durante a Consulta

  • Procure relaxar e não se preocupar com as agulhas;
  • Mantenha uma postura mental receptiva. A acupuntura não depende de crença, mas é comprovado que a aceitação da técnica amplifica seus resultados;
  • Evite se mover depois de colocadas as agulhas. As agulhas são posicionadas em grupamentos musculares e o movimento pode movê-las e provocar desconforto;
  • Se estiver ansioso, respire lenta e profundamente algumas vezes, a ansiedade com a expectativa das agulhas tende a diminuir a cada sessão;
  • Não há necessidade de dar dicas para o profissional na hora da aplicação, no diagnóstico energético ele planejou o tratamento e irá acompanhar a progressão dos sintomas a cada sessão;

Depois da Consulta

  • Levante-se da maca lentamente ou espere alguns minutos depois da retirada das agulhas. Nunca se levante bruscamente pois poderá tensionar a musculatura que estava em relaxamento;
  • Evite tomar banho logo depois da consulta, especialmente banho frio, pois diminui o efeito da acupuntura, já que altera o fluxo do chi.
  • Evite dirigir por muito tempo ou em percurso muito longo. A acupuntura normalmente causa sonolência após a sessão devido ao relaxamento, reduzindo consideravelmente os reflexos.
  • Siga as recomendações de seu acupuntor diariamente, não se sabote.
  • Retorne no tempo devido para uma nova sessão, e não abandone o tratamento até sua completa recuperação, muitas pessoas deixam o tratamento de lado quando se livram da dor (sintoma), lembremo-nos que o alívio do sintoma demonstra melhora no campo físico, mas que o campo energético carece ainda de equilíbrio. Apenas seu acupuntor pode lhe dispensar do tratamento quando julgar adequado.

SE PRECISAR DE ATENDIMENTO MÉDICO, PROCURE UM MÉDICO.

SE PRECISAR DE ACUPUNTURA, PROCURE UM ACUPUNTOR.

Assim, com chave de ouro, encerramos este ciclo de conhecimentos desta fantástica ferramenta de auto cura, agradeço o Acupuntor Sr. Gilberto Antônio Silva criador do manual Tudo o que você queria saber sobre Acupuntura, excelente contribuição que permite o acesso às informações sobre acupuntura por qualquer pessoa que tenha interesse, de forma simples e direta.

Agradecimento especial ao Diogo Pietro Biagi que com muito carinho e cuidado tem nos ajudado na revisão dos textos, imagens e postagens.

Gratidão imensa aos leitores que acompanharam, curtiram e compartilharam estes posts e outros que ainda lerão em outra oportunidade.

Se tiverem alguma dica de tema, para ser postado aqui, deixem nos comentários que faremos o possível para atender seu pedido!

Que todos possamos encontrar nosso equilíbrio para a evolução deste planeta.

Gratidão!

Cibeli de Fátima Couss

Biomédica Acupunturista

Reikiana Nível III

Terapeuta Corporal

ShengTao Terapias

Add reply

Deixe uma resposta