Tudo o que você sempre quis saber sobre acupuntura – Como funciona a Acupuntura?

Iniciamos então o terceiro de 5 textos da série  “Tudo o que você sempre quis saber sobre acupuntura”. Talvez seja a grande curiosidade da maioria das pessoas que já experimentaram ou ouviram falar sobre a acupuntura.

Então vamos lá, desmistificar esta técnica milenar.

A acupuntura tem seu funcionamento regido por certas leis universais descobertas há milênios por sábios Taoístas. O Taoísmo é uma filosofia nativa da China baseada na busca pela harmonia com o universo através da utilização de suas leis naturais em todos os aspectos da vida diária.

O retorno ao estado natural do ser humano é o objetivo do Taoísmo, e por extensão, da acupuntura. Para isto se utilizam agulhas em determinados pontos, para influenciar o sistema energético do indivíduo e ajudá-lo a retomar o padrão harmônico original.

Explicação original chinesa

Todo o nosso organismo está imerso em uma extensa rede de canais energéticos denominados no ocidente como “meridianos”. Estes meridianos se enraízam nos sistemas energéticos dos órgãos realizando trocas energéticas entre eles.

Existem 14 meridianos principais divididos em Yin e Yang. Esta dualidade de forças que interagem constantemente, é a base da maioria das técnicas terapêuticas do oriente.

A oposição do Yin para o Yang pode ser entendida ao compararmos os contrastes entre Terra (yin) e Céu (yang), escuro (ying) e claro (yang), noite (yin) e dia (yang), mulher (yin) e homem (yang), entre outros.

Os pontos de acupuntura não foram escolhidos aleatoriamente, nestes, há uma “abertura” energética, onde podemos realizar o estímulo tanto com agulhas, laser, como aquecendo-os com ervas para alterar o fluxo desta energia, até então em desequilíbrio.

Quando falamos em órgão, não estamos nos referindo ao órgão físico propriamente dito, e sim sobre o fluxo, qualidade ou estagnação de energia presente neste órgão. Existe na verdade o órgão físico e o órgão energético. O desequilíbrio ocorre primeiramente no campo energético e se não resolvido passa a comprometer o órgão físico. Basta pensarmos em uma situação comum nos dias de hoje, indivíduos com queixas claras de dores (sintomas), mas que após uma bateria de exames, não encontram qualquer alteração, este é um exemplo claro de desequilíbrio ainda no campo energético, mas que posteriormente, se não sanado, torna-se uma lesão física.

As doenças são basicamente desarmonias destes sistemas energéticos, que se não tratadas a tempo, se introduzem nos órgãos físicos. Vale ressaltar que o grande objetivo terapêutico da acupuntura e da MTC (Medicina Tradicional Chinesa) é tratar o desequilíbrio ainda quando está no sistema energético, o que em alguns casos nem chega a ser sintomático.

O que move esses canais é o Qi ou Chi, a energia, existem duas formas de realizar o tratamento: Retirar estagnação do Qi ou modificar seu fluxo.

Estagnação ocorre quando o fluxo normal da energia está comprometido, assim o Qi fica “acumulado” causando desarmonia.

Modifica-se o fluxo do Qi quando a energia se modifica. Podemos encontrar excesso de Qi, onde precisamos diminuir o fluxo (sedação), ou deficiência de Qi em que se deve aumentar o fluxo (tonificação).

A explicação ocidental

Mais “científica” talvez, mas limitada para o entendimento profundo dos efeitos da aplicação da agulhas. Segundo estudos realizados, o que se sabe é que a acupuntura provoca estímulos nas terminações nervosas existentes nos pontos de acupuntura, liberando determinadas substâncias químicas, como endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar, o que explica a grande capacidade da acupuntura no alívio de dores. No entanto, estimular nervos e liberar endorfinas não explica os excelentes resultados em tratamentos para náusea, asma, redução de processos inflamatórios, aumento da imunidade, equilíbrio hormonal, entre outros.

No Brasil, qualquer tipo de técnica para ser creditada precisa ser comprovada cientificamente, não que este quesito seja de todo ruim, mas existe uma diferença cultural e filosófica muito grande entre o ocidente e o oriente para conseguirmos compreender e explicar aquilo que é sutil, e que apenas sentimos, a energia.

Acupuntura e o paciente

Para a filosofia Taoísta, cada pessoa é um ser único no universo. Isto implica em que o acupuntor sempre tratará do paciente como uma pessoa diferente de todas as demais. Ao contrário da medicina ocidental que utiliza estatísticas genéricas (Pressão arterial e valores padronizados em exames laboratoriais) que são estendidas à toda a humanidade, a medicina chinesa aplica seus fundamentos de maneira individual e personalizada.

Por hoje é isto, amanhã falaremos das aplicações da acupuntura, dos “perigos”, efeitos colaterais e contraindicações. Não perca…

E pra você que caiu de paraquedas neste post, não deixe de conferir o Primeiro e o Segundo post dessa série, para “não perder o fio da meada”.

Shengtao Terapias, Encontre seu equilíbrio!

Add reply

Deixe uma resposta